Biblioteca Azul


Introdução

Na África e em todo o resto do mundo em desenvolvimento, o acesso à informação em saúde tem sido um problema, principalmente para aqueles que vivem em zonas distantes dos centros urbanos. Nestes locais, dificilmente os profissionais de saúde dispõem de informação atualizada quando precisam elucidar dúvidas ou questões práticas e esta carência pode significar um comprometimento da qualidade dos serviços prestados.

Frequentemente, escolas, institutos ou faculdades na área da saúde possuem bibliotecas caracterizadas por prateleiras vazias ou desfalcadas, revistas e livros antigos e tudo isso agravado pela falta de orçamento para a aquisição de novos livros ou revistas, prejudicando a formação dos estudantes e comprometendo o ensino.

Além disso, o acesso à Internet que poderia auxiliar os estudantes e professores a obterem informação em saúde atualizada e relevante ainda é precário, caro e incerto. Nos países africanos de língua oficial portuguesa (PALOP), há ainda o agravamento devido à questão da língua, já que a literatura mundial em saúde está disponível na sua grande parte, em inglês.

A abordagem adotada pela Biblioteca Azul facilita a utilização dos documentos por profissionais de saúde, bibliotecários, agentes comunitários e membros da comunidade. Um material para a promoção de cursos de treinamento vem sendo incluído em todas as bibliotecas enviadas e aplicado em aulas presenciais em alguns dos países.

Compartilhar