As mulheres no contexto da microcefalia e da doença do vírus Zika

Perguntas e Respostas online
10 de Fevereiro de 2016

O risco de os bebés nascerem com microcefalia tem suscitado compreensíveis preocupações entre as mulheres, incluindo as que estão grávidas ou que planeiam engravidar. É grande o desconhecimento sobre as causas possíveis da microcefalia. Até que disponhamos de mais respostas, existem formas de as mulheres se protegerem contra a infecção pelo Zika.

As mulheres grávidas devem preocupar-se com a doença do vírus Zika?

Embora os sintomas associados ao Zika sejam, de modo geral, ligeiros, tem-se observado uma possível associação entre o invulgar aumento de casos de Zika e casos de microcefalia no Brasil, desde 2015.

O que é a microcefalia?

A microcefalia é uma condição em que um bebé nasce com uma cabeça pequena ou em que a cabeça deixa de crescer depois do nascimento. A microcefalia é, normalmente, uma condição rara, em que apenas um bebé em vários milhares nasce com essa deficiência. Se esta condição corresponder a um fraco desenvolvimento do cérebro, os bebés com microcefalia podem ter problemas de desenvolvimento.

O modo mais seguro de avaliar se um bebé tem microcefalia é medir a circunferência da cabeça 24 horas depois do nascimento, comparar essa medição com os padrões de desenvolvimento da OMS e continuar a medir a taxa de crescimento da cabeça na primeira infância. O Brasil tem notificado um aumento invulgar e súbito de bebés nascidos com microcefalia, desde Maio de 2015.

Informação aos prestadores de cuidados de saúde:

Informação ao público em geral:

Como podem as mulheres proteger-se contra a infecção pelo Zika?

As mulheres que estão grávidas ou planeiam engravidar devem ter cuidados especiais para se protegerem das picadas do mosquito que transmite o Zika:

  • usando repelente de insectos: os repelentes podem ser aplicados na pele exposta ou nas roupas e devem conter DEET. Os repelentes devem ser usados rigorosamente de acordo com as instruções do rótulo. O seu uso é seguro para as mulheres grávidas;
  • usando vestuário (de preferência de cores claras) que cubram o corpo o mais possível;
  • usando barreiras físicas, como mosquiteiros, portas e janelas fechadas;
  • dormindo sob a protecção de mosquiteiros, especialmente durante o dia, quando os mosquitos Aedes estão mais activos;
  • identificando e eliminando os potenciais locais de proliferação de mosquitos, esvaziando, limpando ou cobrindo os recipientes que possam conter água, ainda que em pequenas quantidades, como baldes, floreiras e pneus.

Há relatos de que o Zika pode ser transmitido pelas relações sexuais. Isso é correcto e, em caso afirmativo, como é que pode ser evitado?

O Zika tem sido encontrado no sémen humano e há uma investigação que descreve um caso em que o Zika foi transmitido de uma pessoa para outras, através do contacto sexual. No entanto, são necessárias mais evidências para confirmar se o sexo transmite realmente o vírus.

Até que haja mais informação, todos os homens e mulheres que vivam ou regressem de uma zona em que o Zika esteja presente – especialmente as mulheres grávidas e os seus parceiros – devem ser aconselhados sobre os potenciais riscos de transmissão sexual e praticar sexo seguro. Isto significa o uso correcto e sistemático de preservativos, um dos métodos mais eficazes de protecção contra todas as infecções sexualmente transmissíveis.

Informação ao público em geral:

Informação aos decisores políticos:

As mulheres grávidas podem viajar para zonas em que o vírus Zika esteja presente?

A OMS não recomenda restrições a viagens relacionadas com a doença do vírus Zika.

As mulheres que estejam grávidas, ou planeiem engravidar, devem determinar o nível de risco que pretendem assumir, em relação ao Zika e fazer os seus planos em conformidade. Em particular, devem:

  • manter-se informadas sobre o vírus Zika e outras doenças transmitidas por mosquitos;
  • proteger-se contra as picadas dos mosquitos (ver acima);
  • consultar o seu médico ou autoridades de saúde locais , se viajarem para uma zona em que o vírus Zika esteja presente;
  • informar sobre os seus planos de viagem durante as consultas pré-natais;
  • consultar o seu cuidador para uma boa monitorização da sua gravidez, depois de regressarem da viagem.

O que devem fazer as mulheres grávidas, se tiverem Zika?

As mulheres grávidas infectadas com o vírus Zika devem procurar aconselhamento e cuidados pré- natais junto de um médico. As recomendações da OMS sobre este assunto estão, presentemente, a ser elaboradas.

Informação aos prestadores de cuidados de saúde

As mulheres podem transmitir o vírus Zika aos seus fetos durante a gravidez ou o parto?

A infecção pelo vírus Zika poderá potencialmente ser transmitida durante o parto, embora, até à data, isso não tenha sido comprovado. As mulheres grávidas, em geral, incluindo as que desenvolverem sintomas de infecção pelo vírus, devem consultar o seu prestador de cuidados para uma monitorização atenta da sua gravidez.

As mães com infecção pelo Zika podem amamentar os bebés?

O vírus Zika tem sido detectado no leite materno, mas actualmente não existem evidências de que o vírus seja transmitido aos bebés através da amamentação. As actuais recomendações da OMS sobre amamentação continuam válidas, em particular a amamentação exclusiva durante os primeiros seis meses de vida.

Informação ao público em geral :

O que devem fazer as mulheres, se desejarem adiar a gravidez por estarem preocupadas com a microcefalia?

  • Se devem ou quando devem engravidar é uma decisão pessoal, com base em toda a informação disponível e no acesso a serviços de saúde de qualidade e comportáveis.
  • As mulheres devem ter acesso a várias opções de contracepção. Os vários contraceptivos disponíveis devem incluir métodos de acção prolongada, de curta acção e de acção permanente, que correspondam às preferências e necessidades individuais das mulheres. Entre eles contam-se o diafragma, cone cervical, o preservativo masculino, o preservativo feminino, a espuma espermicida, as esponjas e a película.
  • Não existem preocupações de segurança conhecidas relativamente ao uso de métodos contraceptivos hormonais ou de barreira, para as mulheres ou adolescentes em risco do vírus Zika, mulheres diagnosticadas com infecção pelo vírus Zika ou mulheres e adolescentes que estejam a ser tratadas da infecção pelo vírus Zika.

Informação aos decisores políticos :

O que devem fazer as mulheres grávidas, se desejarem interromper a gravidez por receio de microcefalia?

  • A maioria das mulheres que vivem em zonas afectadas pelo Zika terão bebés normais.
  • A ecografia precoce não é fiável para a previsão da microcefalia, excepto em casos extremos.
  • As mulheres que desejarem interromper a gravidez, por receio de microcefalia, devem ter acesso a serviços de aborto seguro, nos termos da lei. Devem consultar um profissional de saúde para informação rigorosa sobre a obtenção de serviços de aborto seguro.
  • Nos países com acesso restrito e/ou disponibilidade limitada de serviços de aborto seguro, as mulheres devem receber informação rigorosa e aconselhamento acerca das suas opções.

Informação aos decisores políticos sobre aborto seguro:

Informação aos prestadores de cuidados:

Informação ao público em geral:

O que devem fazer as mulheres que estiveram expostas a sexo de risco, mas não desejem engravidar por receio de infecção pelo Zika?

Todas as mulheres e jovens devem ter imediato acesso à contracepção de emergência, incluindo informação rigorosa e aconselhamento, assim como a métodos de custo acessível.

Informação ao público em geral:

This page links all WHO information to its response on the Public Health Emergency of International Concern